Vemos o mesmo?

Media – Desconstrução (como comunicam os media/ implicações)

Objetivos

- Desenvolver o pensamento crítico

- Aumentar o conhecimento acerca da utilização das notícias e imagens feitas pelos media

- Aprender sobre notícias falsas

- Aprender mais sobre a bolha de filtro

 

Aprendizagens esperadas

Após a sessão os(as) participantes deverão:

- Estar aptos a reconhecer notícias falsas

- Saber como confirmar a informação

- Analisar a informação dos media

 

Grupo-alvo

Jovens e adultos

Todos os grupos (nacionais e/ou imigrantes)

Grupo: 10-20 pessoas

 

Complexidade

(1 - muito fácil, 5 - muito difícil)

Grau de experiência necessária - 3

Quantidade de trabalho para preparar e implementar o cenário - 3

Custo estimado - 3

 

Duração

3 horas (com intervalo de  15 min)

Espaço

Sala com cadeiras (uma por pessoa) dispostas em círculo com espaço para trabalho em grupo

Recursos

Computador, Video-projector, Papel, Canetas, Flipchart

Preparação

Antes da sessão, o(a) facilitador(a) deverá:

- Imprimir uma imagem, lançando um tópico de discussão que possa ser abordado de diferentes maneiras. Também poderá usar a imagem do Anexo 1

- Preparar o questionário com exemplos de notícias falsas dos últimos meses

- Fazer 5 cópias da imagem e 1 cópia da sua descrição (diferente para cada grupo)

 

Desenvolvimento

Introdução

No caso de o(a) facilitador(a) trabalhar com um grupo que não conheça, ou cujos(as) participantes não se conheçam entre si, poderá utilizar o jogo “A quem pertence a história?”. Deverá em seguida pedir aos(às) participantes que escolham um objeto que tenham consigo, e que, por alguma razão seja importante para si. Pedir-lhes que pensem na/numa história relacionada com o objeto (podem inventar uma).

Quando tiverem terminado, pedir para se dirigirem a outro(a) participante,  contarem a historia do seu objeto, ouvir a história do objecto do(a) outro(a) participante e trocar de objecto. Na ronda seguinte devem repetir a história do objeto e acrescentar o nome do(a) seu(sua) dono(a). Podem ser feitas 3-4 rondas. No final, cada objecto deve ter passado por 3-4 mãos.

Após as rondas, pedir aos(às) participantes que regressem aos seus lugares e, à vez, contem a história do objeto que têm em mãos Quando terminarem, o devolvam ao(à) respetivo(a) dono(a). (15 minutos)

 

Atividades

1. O(a) facilitador(a) deverá:

A. Explicar que a sessão é uma oportunidade para ver como a informação é disseminada e  como nós a entendemos. (5 minutos).

B.  Pedir às pessoas para formarem 5 grupos. Agora serão jornalistas responsáveis pela preparação da notícia baseada na imagem que receberam e na informação que possuem. Podem escolher se se trata de uma notícia da televisão, internet, ou jornal. Pedir que trabalhem apenas dentro do grupo em que estão, sem comunicarem com os outros grupos (5 minutos).

C.  Distribuir a cada grupo a imagem impressa (a do Anexo 1, ou outra pesquisada) e uma pequena descrição da informação que cada grupo terá de preparar (cada grupo terá uma descrição diferente para a mesma imagem).

GRUPO 1: Polícia prende terrorista responsável pelo último ataque

GRUPO 2: Polícia usou a força contra imigrantes no campo

GRUPO 3: Polícia atacou cidadão no concerto apenas por causa da cor da pele

GRUPO 4:  Imigrantes atacam polícia

GRUPO 5: Imigrantes que esperam na fronteira tentam entrar ilegalmente no nosso país

(15 minutos)

 

2. Quando os grupos tiverem  a informação concluída, pedir a cada grupo que, à vez, apresente a sua notícia, e mostre a imagem ilustrativa. (15 minutos)

 

3. Após a última apresentação o(a) facilitador(a) deverá perguntar o que aconteceu:

- Porque é que a informação é diferente, se todos os grupos tinham a mesma imagem?

- Como criaram as notícias?

- O que consideraram importante ser partilhado com o público? (10 minutos)

 

4. Conduzir uma breve sessão de chuva de ideias sobre “notícias falsas”, pedindo aos(às) participantes que digam o que entendem do conceito, e que dêem exemplos nos media que conheçam. (10 minutos)

 

5. Explicar o que são notícias falsas, e apresentar os 7 tipos (Anexo 2). (15 minutos)

 

6. Convidar os(as) participantes a preencher o “questionário” (anexo 3) para verificar se conseguem reconhecer notícias falsas. Podem trabalhar em grupos de 2 ou 3 pessoas.

O(a) facilitador(a) deverá presentar o “questionário” sem as respostas e pedir aos grupos que escrevam, num papel a entregar pelo(a) facilitador(a), as respetivas respostas . Após todas as respostas dadas, será pedido a cada grupo que entregue as suas respostas ao grupo posicionado no seu lado esquerdo.

Em seguida, o(a) facilitadora deverá ler as respostas correctas e pedir aos grupos que partilhem o total de respostas corretas que identificam no papel que lhes foi atribuido.  (15 minutes).

 

7. Perguntar aos(às) participantes  se acharam difícil reconhecer as notícias falsas e pedir que o justifiquem. Qual foi a estratégia que usaram para responder? Como descobriram se era verdadeira ou falsa? (10 minutos)

 

8. Pedir em seguida que criem uma lista de pistas para detetar notícias falsas. Pedir às pessoas que formem grupos de 4 elementos. Cada grupo deverá, após a identificação das pistas, escrevê-las num papel de flipchart. (20 minutos)

 

9. Quando terminarem, pedir a cada grupo que apresente a sua lista. Podem ser dados alguns momentos para explicações e perguntas mas é importante deixar o debriefing para o final da sessão. (15 minutos)

 

10. Perguntar aos(às) participantes se concordam com a afirmação:

"Temos a obrigação de verificar a informação antes de partilharmos com as outras pessoas".

Pedir aos(às) participantes que, de acordo com a resposta, se coloquem em fila. Numa ponta da fila deverão estar aqueles que concordam plenamente com a afirmação referida. Na ponta oposta da fila deverão estar aqueles(as) que discordam totalmente com a afirmação. Todos(as) deverão posicionar-se no lugar da fila, o qual reflete melhor a sua posição. (3 minutos)

NOTA: É apenas uma linha, e não 2 ou 3 grupos.

 

11. Convidar os e/ou as 3 participantes que se encontrem nos extremos opostos da fila (6 pessoas no total) que formem um círculo para discutiram a sua posição. Passarão a ser os(as) peritos(as) com a tarefa de apresentar os argumentos a favor ou contra a afirmação que convencerão a audiência.

Os restantes participantes deverão sentar-se num círculo em volta do circulo de peritos(as), e tomar nota dos argumentos de ambos os lados. O tempo para o debate será de 7 minutos.

 

12. Quando o debate terminar, pedir aos(às) participantes que apresentem, um por um, os argumentos que escreveram no papel. O(a) facilitador(a) deverá fazer a lista dos prós e contras para que possa numerar todos os pontos apresentados. (15 minutos)

 

13. Perguntar aos(às) participantes se alguma vez ouviram falar na teoria da bolha de filtro. Se sim, perguntar o que é; se não, explicar resumidamente a teoria (anexo 5). Perguntar sobre as consequências da seleção da informação que recebemos. (10 minutos)

 

Debriefing

 Começar por perguntar sobre a experiência dos(as) participantes:

- Qual a tua opinião? Alguma vez acreditaste em notícias falsas?

- Já alguma vez partilhaste notícias falsas?

- Porque  criam as pessoas, notícias falsas?

- Quem beneficia/lucra com as notícias falsas?

- De que modo uma notícia falsa influência a tua opinião e comportamento? (10 minutos)

 

Instrumentos de apoio

 

Inspiração

ELI PARISER: BEWARE ONLINE “FILTER BUBBLES”, TED speech (https://www.ted.com/talks/eli_pariser_beware_online_filter_bubbles?language=pl#t-2996)

http://www.rappler.com/technology/163613-fake-news-quiz

 

Ideias para ação

Se tiver acesso à internet o(a) facilitador(a) poderá pedir aos(às) participantes que pesquisem exemplos de notícias falsas no seu facebook.

As notícias podem ser verificadas nos portais mais populares.

Variação: O primeiro exercício pode ser feito sem os subtítulos da imagem.

 

ANEXOS

Anexo 1: Imagem da polícia francesa prendendo um migrante no bairro de lata de Calais, 2009

Anexo 2: Falsas notícias

Anexo 3: É noticia falsa ou não - Questionário

Annex 4: Como reconhecer uma notícia falsa

Anexo 5: Bolha de filtro

 

Preparado por IRSE

ITE

 

 

 

Social-educational initiative centre PLUS

sei.plius@gmail.com

Make it Better

info@mibworld.org

Ecos do Sur

ong@ecosdosur.org

 

 

 

The European Commission support for the production of this publication does not constitute an endorsement of the contents which reflects the views only of the authors, and the Commission cannot be held responsi¬ble for any use which may be made of the information contained therein.

 

© Copyright 2017-18 Wszystkie prawa zastrzeżone.